CECGP

JUSTIÇA SEJA FEITA – Em memória do professor José Maria Cabral Marques, por Antônio Augusto Ribeiro Brandão.

Cabral Marques 2

“Independente da formação profissional de cada um, fizeram especialização para o magistério, aprenderam sobre métodos e técnicas de pesquisa, exercício da liderança, elaboração de planos de ensino, dinâmica de grupo e sensibilidade social, com mestres da estirpe de João Eurico Matta, Rômulo Galvão Carvalho e Jorge Hage Sobrinho, dentre outros não menos ilustres…”

 *Antônio Augusto Ribeiro Brandão   

 

Os frutos colhidos pelo Curso de Administração da Universidade Estadual do Maranhão – UEMA, uma tradição consolidada no cenário do ensino superior, provam que a semente foi plantada em terreno fértil. O tempo passou rápido, mas as lembranças dessa construção permaneceram definitivamente gravadas na mente dos que reconhecem essa grande iniciativa, porém nem sempre lembrada.

 Tudo começou nos idos de 1967 quando foram dados os primeiros passos a essa construção. Naquela visão de futuro residia a exata compreensão de que nosso desenvolvimento econômico-social estava condicionado principalmente à formação de recursos humanos capazes de gerenciar as etapas que haveriam de vir.

 A gênese do processo foi a designação, pelo Governador José Sarney, do então Secretário de Administração, José Maria Cabral Marques, para coordenar e supervisionar um grupo de trabalho com a missão de “implantar progressivamente a Escola de Administração Pública do Estado do Maranhão – EAPEM, até a posse do primeiro Diretor.” Esse grupo era formado por Miryan Magdala de Moura Teixeira, Antônio Augusto Ribeiro Brandão, Nelson Almada Lima, Zita Silvestre Fernandes, João Geraldo Bugarin, Nilza Maria Barros Carvalho e Rosa Soares Bugarin.

 Preparando-se para serem de fato professores de administração, esses técnicos estiveram estagiando na Universidade Federal da Bahia e, independente da formação profissional de cada um, fizeram especialização para o magistério, aprenderam sobre métodos e técnicas de pesquisa, exercício da liderança, elaboração de planos de ensino, dinâmica de grupo e sensibilidade social, com mestres da estirpe de João Eurico Matta, Rômulo Galvão Carvalho e Jorge Hage Sobrinho, dentre outros não menos ilustres.

 O ano de 1967 foi de muita movimentação para os envolvidos na honrosa missão. Enquanto trabalhavam na formatação dos documentos legais à institucionalização da futura Escola, na grade curricular do Curso, no seu conteúdo programático, o quadro docente ia sendo definido principalmente para os primeiros anos de funcionamento; os futuros professores participavam também dos trabalhos da Reforma Administrativa, então em curso, que procurava equacionar a realidade do Estado e prepará-lo para os desafios a serem enfrentados pelo novo governo.

 Em 1968, devidamente autorizada pelo Conselho Estadual de Educação, a Escola de Administração começou a funcionar e seu primeiro Diretor foi o professor João Geraldo Bugarin, sucedido   por Renato Bacelar Nunes, Roberto Macieira, Carlos Madeira, entre outros professores importantes. Inicialmente, a EAPEM instalou-se no prédio da antiga CR, defronte da Escola Modelo, na Praça de Santo Antônio, e em seguida transferiu-se para o bairro da Alemanha, na avenida dos Franceses.

 Desde o início lecionei a disciplina Teoria Econômica; depois, a partir de 1973, com mais de quarenta outros colegas, tornamo-nos Professores Titulares em processo tramitado no Ministério da Educação, que reconheceu o Curso de Administração. Fizeram parte da primeira turma – e das outras que se seguiram – rapazes e moças convertidos em amigos e amigas desde então, e que souberam construir as suas respectivas carreiras de sucesso.

 Em 1972, a Federação das Escolas Superiores do Maranhão – FESM integrou os estabelecimentos isolados do sistema educacional superior. Foi constituída inicialmente por quatro unidades: as Escolas de Administração, Engenharia e Agronomia, e a Faculdade de Caxias; em 1975, incorporou a Escola de Medicina Veterinária, e, em 1979, a Faculdade de Educação de Imperatriz.  A FESM foi transformada em Universidade, em 1981, por ato do então governador João Castelo, e autorizada a funcionar, em 1987.

 Por uma questão de justiça, cito os professores Francisco Batista Ferreira e Artur Almada Lima Filho, Francisco Freitas e Jacques Medeiros, primeiros Presidentes da FESM e Reitores da UEMA, respectivamente, em nome dos quais saúdo os outros estimados mestres que deram seguimento a esta grande obra em prol da educação maranhense.

  

*Economista. Membro Honorário da ALL e da ACL. Filiado à IWA e ao Movimento ELOS Literários.

 

 

 

 

Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email
Rolar para cima